GERAL >

Destaque na FIPP, Arranjo Produtivo Local discute integração do setor em Teófilo Otoni

Este foi um dos vários eventos promovidos no Espaço, que contou com a participação da equipe de governo da Prefeitura de Teófilo Otoni

 

O local foi destinado a palestras, treinamentos, exposições, lançamentos de livros e discussões diversas

O local foi destinado a palestras, treinamentos, exposições, lançamentos de livros e discussões diversas

Uma das inovações da Feira Internacional de Pedras Preciosas (FIPP) em 2017 foi a criação do Espaço Arranjo Produtivo Local (APL). Criado com o apoio da Gems Exporters Association (GEA), Polo da Universidade Aberta do Brasil de Teófilo Otoni, Prefeitura de Teófilo Otoni, Sindcomércio, Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais (CODEMIG) e Escola de Formação Gerencial (EFG), o local foi destinado a palestras, treinamentos, exposições, lançamentos de livros e discussões diversas. Durante quatro dias, uma variada programação aconteceu no Espaço APL. O prefeito Daniel Sucupira, grande apoiador da mostra e participativo nas atividades ocorridas tanto na FIPP como na Exponor, acompanhou um dos eventos ocorridos no Espaço. Ele participou da mesa de debate sobre o APL de Teófilo Otoni e as possibilidades de cooperação entre os agentes sociais, econômicos e políticos.

A professora Clariana Queiróz apresentou os resultados de pesquisa realizada sobre APL

A professora Clariana Queiróz apresentou os resultados de pesquisa realizada sobre APL

O tema foi abordado antes na palestra da professora Clariana Queiróz, que apresentou os resultados da pesquisa que fez em 2016 nos 21 municípios que compõem o APL. “Minha ideia foi recriar para a comunidade local a necessidade de conhecer a história do APL, que pode ser de qualquer setor e consiste em um aglomerado de empresas com o envolvimento de agentes sociais, econômicos e políticos. A forma de um Arranjo Produtivo Local se apresentar é a partir da organização de sua estrutura, compreendendo os três elos da cadeia, que no ramo de pedras são a Mineração, a Lapidação e a Joalheria. E a FIPP é o momento que todos os elos da cadeia produtiva do setor de gemas e joias se reúnem”, explicou a palestrante.

O diretor da Divisão de Ensino, Luís Alberto Bassoli, foi o coordenador do debate

O diretor da Divisão de Ensino, Luís Alberto Bassoli, foi o coordenador do debate

O diretor da Divisão de Ensino da Secretaria Municipal de Educação, Ciência e Tecnologia, Luís Alberto Bassoli, coordenou o debate que reuniu, além do prefeito Sucupira e da professora Clariana, o secretário de desenvolvimento econômico, Jonas Boa Ventura, o presidente da Cooperativa dos Lapidários, Marcos Chácara, o presidente da Câmara de Gemas do Sindijóias, Marcelo Bernardes, o prefeito de Campos Verdes, Haroldo Naves e o representante do Instituto Federal (IFNMG), Daniel Fernandes.

Agentes econômicos, políticos e sociais reuniram-se para discussão do setor de gemas e joias

Agentes econômicos, políticos e sociais reuniram-se para discussão do setor de gemas e joias

 

O prefeito Daniel Sucupira iniciou sua fala destacando que a discussão era muito produtiva.  Ele disse que aquele era um momento histórico porque a FIPP estava quebrando paradigmas do setor, considerando a disputa antiga entre a feira dos pedristas e a dos garimpeiros. “É uma alegria muito grande ver esses agentes aqui reunidos nessa nova perspectiva de interação de forças e experiências. Uma proposta para que possamos avançar nessa linha é que criemos dentro da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico um grupo de trabalho institucionalizado através de decreto, que integre os parceiros atuantes no setor de gemas e jóias e que possa propor, integrar, trazer para essa agenda do desenvolvimento regional a reestruturação do setor”, pontuou Sucupira.

 

Publicado em 24/08/2017, em GERAL.