13ª Feira de Economia Popular Solidária movimenta o micro empreendedorismo regional

Jonas Boa Ventura e representantes das entidades promotoras do evento fizeram a abertura oficial do evento

 

Durante dois dias, por meio da 13ª Feira Regional de Economia Popular Solidária, os teófilo-otonenses puderam apreciar produtos artesanais e manifestações culturais típicos dos povos dos Vales do Mucuri e Jequitinhonha. Aproximadamente 60 expositores de 17 municípios da região estiveram na Praça Tiradentes na sexta e sábado, oito e nove de junho, levando ao conhecimento da população empreendimentos que funcionam no modelo da economia popular solidária.

A Prefeitura de Teófilo Otoni, através da Secretaria Municipal de Economia Solidária, Trabalho, Emprego e Renda, promoveu o evento juntamente com os Fóruns Mineiro e Regional de Economia Popular Solidária, Aprender Produzir Juntos (APJ), Conselho Estadual de Economia Popular Solidária e Governo de Minas.

Os negócios que trabalham de acordo com a proposta da economia popular solidária são baseados em valores como solidariedade, ajuda mútua e cooperação, e fazem circular a moeda social lisa. Nesta edição em Teófilo Otoni, quem circulou pela feira pôde conferir produtos da agricultura familiar como pães, biscoitos, doces, salgados, licores, mel e artesanato em geral, exposto através de objetos decorativos, utilidades domésticas, bijuterias e difusores de ambientes.

Terezinha Pereira comercializa produtos da agricultura familiar na feira de economia solidária desde 2014

 

Terezinha Pereira veio de Novo Oriente de Minas para divulgar os produtos que comercializa desde 2014 segundo os princípios da economia popular solidária. “É a terceira vez que participo desta feira aqui em Teófilo Otoni, onde trago bolo, geleia e doces que eu mesma produzo a partir da agricultura familiar”, contou a expositora.

O prefeito defendeu a criação de políticas públicas voltadas para a economia popular solidária

 

Para o prefeito Daniel Sucupira, o evento é a oportunidade de trazer para a cidade o que há de mais bonito em termos de produção artesanal. “Nesse sentido, percebemos que a cada dia a economia solidária deixa de ser um sonho de alguns para se tornar uma política pública. Em nossa gestão, criamos uma secretaria voltada para essa área, reconhecendo que esta economia não pode ser um apêndice em nosso governo, mas um propósito”, declarou o prefeito.

O secretário da pasta, Jonas Boa Ventura, demonstrou que a realização do evento em muito o alegrou, tamanhos são os desafios apresentados em um momento de escassez de recursos públicos. “Quando pensamos em Economia Popular Solidária vemos o semblante de tantas pessoas que por muito tempo não foram acreditadas, não tiveram vez nem voz, mas uma vez que já estamos na 13ª edição, o coração da gente se alegra porque estamos conquistando espaço”, destacou o secretário.

Camila da Silva circulou pela feira e comprou mel e acessórios para cabelo

 

A teófilo-otonense Camila da Silva circulou pela feira e adquiriu produtos como mel e acessórios para cabelo. Segundo ela, eventos assim devem acontecer sempre porque oferecem opções diferentes do que se encontra no comércio da cidade. “Esta feira é muito bacana. Já vim outras vezes e este ano me interessei pelas presilhas feitas com estampas baseadas na bandeira nacional por ocasião da Copa do Mundo de Futebol”, disse Camila.

Nos dois dias de evento a programação cultural foi extensa, com apresentação de artista de nível nacional e regional

 

Na primeira noite, uma multidão lotou a Praça Tiradentes para assistir aos shows de Saulo Laranjeira e dos Cangaceiros do Mucuri. No segundo dia, quem dominou o palco foram os cantores André Lima e Anna Macedo, Rafael Farias, Paulynho Raphael e Old Man.

Publicado em 12/06/2018, em Sem categoria.