Show de Tadeu Franco abre as comemorações dos 165 anos de Teófilo Otoni

Apresentação, no dia 6 de setembro,  integra a turnê pelas cidades mineiras que comemora os 35 anos de carreira do artista

 

O músico Tadeu Franco faz show no próximo dia 6, a partir das 20 horas, na Praça Tiradentes, em Teófilo Otoni. A apresentação abre as comemorações do aniversário da cidade, que no dia 7 de setembro completa 165 anos de história.  A escolha de Tadeu para marcar a data comemorativa veio em função da ligação do cantor, compositor e violonista com o município. Nascido em Itaobim, no Vale do Jequitinhonha, Tadeu se mudou ainda na infância com os pais para Teófilo Otoni, onde passou a adolescência, prosseguiu com a paixão pela música, fazendo serenatas e se apresentando em bares.

Hoje um dos mais reverenciados músicos da cena cultural mineira, Tadeu Franco comemora 35 anos de carreira com uma turnê em cinco cidades do estado. A turnê começou por  Betim,  Região Metropolitana de BH e passou por Belo Horizonte e Itaobim. Depois de Teófilo Otoni, o cantor se apresenta em Conceição do Mato Dentro. Todas as apresentações da turnê “Tadeu Franco – Turnê MG 2018 – 35 anos de Carreira  são gratuitas.

Violonista, cantor e compositor, Tadeu Franco promete apresentar em Teófilo Otoni canções inesquecíveis e sucessos na sua voz, como “Nós Dois”, de autoria de Celso Adolfo, além composições  em parceria com Milton Nascimento, Márcio e Lô Borges, Tavito, Wander Lee, Elomar,  entre outros. Também não faltarão no repertório composições mais recentes do músico, mostrando seu lado “baladeiro”, ao mesclar rock e blues a ritmos mineiros, como as toadas da folia de reis.

Heranças musicais:

Nascido em 19 de agosto de 1957, Tadeu Franco despertou para música em Itaobim. Filho de Didico de Sousa Franco e de Esmeraldina Rodrigues Franco, funcionários dos Correios e Telégrafos, começou a entoar as primeiras canções na infância. Aos 5, já se apresentava nas festas de aniversário dos amigos. Quando completou 10 anos, ganhou um acordeão, instrumento que acabou não tocando, pois preferiu o violão que o acompanha até hoje.

“Nasci em uma família que gostava de música, não era aquela família de alegria e música o tempo todo. Meu pai tocava violão, minha mãe, que é neta de ciganos, cantava afinadinho e os primos do lado materno, naquela época, faziam sucesso nas rádios de São Paulo tocando cavaquinho”, lembra. Cresceu ouvindo  o repertório de Dilermando Reis, músico preferido do pai, Didico, e considerado um dos mais exímios violonistas e compositores do Brasil.

Ainda na infância, Tadeu Franco mudou-se com os pais para Teófilo Otoni, onde passou a adolescência e prosseguiu com a paixão pela música, fazendo serenatas e se apresentando em bares e reuniões com amigos. Até ali as influências do rapaz, devido à proximidade de Teófilo Otoni com a Bahia, eram de músicos nordestinos, como Raul Seixas, Caetano Veloso, por causa da poesia das letras, e do grupo Quinteto Violado. Mas também gostava das canções engajadas do carioca Edu Lobo. Na infância ouvia também baião e outros ritmos do Nordeste.

Jovem, mudou-se para Belo Horizonte, nos anos 1980, quando inicia a vida de músico profissional. Antes trabalhou em concessionária de veículos, a extinta Casa Arthur Haas, mas alguns dias foram suficientes para desistir, pois não vendeu nada e viu que sua vocação era mesmo a música.

É na capital mineira que Tadeu Franco vai conhecer com mais profundidade as canções do Clube da Esquina, movimento musical mineiro que trouxe inovações estéticas, como a introdução da batida do violão como instrumento de percussão, o uso dos tambores de Minas e os cantos gregorianos nas melodias. “Foi um choque, pois minha influência era toda da música nordestina”, lembra Tadeu, que logo  travou contato com Milton Nascimento e outros integrantes do Clube da Esquina.

A empatia foi total, logo passou a cantar com Milton, que gravou também suas composições. Um dos maiores momentos com Milton foi a interpretação de “Comunhão”,  junto com a cantora Simone, grande sucesso nacional.

Em Belo Horizonte a estreia foi no Projeto Fim de Tarde, na Sala Humberto Mauro, do Palácio das Artes. Logo depois passou a integrar o Expresso Melodia, projeto cultural itinerante, cujos shows eram transmitidos pelas rádios. Os shows eram feitos em um caminhão que se transforma em palco.

Foram muitas apresentações em praças públicas, circos, showmício, favelas, universidades e bares, além de estádios e casas de espetáculos, entre eles os ginásios do Ibirapuera e Mineirinho, os teatros Francisco Nunes, Marília, Imprensa Oficial, até gravar com Milton Nascimento e Simone a música “Comunhão”, de Milton e Fernando Brant. Na época, apresentou-se duas vezes no programa “Fantástico”, cantando “Comunhão”, com Bituca e Simone.

Em festividades pelos 165 anos de Teófilo Otoni, músico Tadeu Franco abre as comemorações com canções inesquecíveis

Discografia

Em 1984,  Tadeu Franco lança o primeiro disco, “Cativante”, com produção e direção de Milton Nascimento, arranjos de Wagner Tiso e Túlio Mourão. É premiado em festivais de Boa Esperança, Juiz de Fora, Avaré e Lambari.

Em 1990 lança no Brasil e na França o CD “Alma Animal”, pelo selo “Paixão Brèsil”.

Em 1995 grava o CD “Orlando”, pela Velas. No repertório 16 músicas consagradas pelo “Cantor das Multidões”, Orlando Silva. Como autor tem músicas gravadas por Sá e Guarabira, Pena Branca e Xavantinho e Beto Guedes. Faz vários especiais nas rádios Inconfidência e Alvorada.

Fonte(ASCOM – Tadeu Franco)

Publicado em 31/08/2018, em Sem categoria.